Domingo, 9 de Março de 2008

Agradecimento e respectivo Altar !!



Voltei. Estive sem computador uma semana. O suficiente para passar por mil sensações diferentes. Pifou de repente, sem explicações.

Primeiro foi o pânico, a sensação de amputação de um membro, sem o qual eu não poderia sobreviver. E a gente sabe, pelo menos calcula, que o ser humano se habitua a quase tudo, o tempo vai fazendo que a desgraça de um braço amputado seja minimizada.

Depois foi a constatação que TUDO estava lá dentro, a minha vida inteirinha, a minha agenda, as minhas musicas de trabalho, os meus escritos, letras ineditas de músicas, contactos, documentos, fotos, TUDOOOOOOOOOOOOOOOOOOO,.............sem backup.......... claro !!!

Depois foi a fase de dormir muito para esquecer. E o MAC lá no hospital.
Depois foi o orçamento.........................e o diagnóstico.....................e o prazo de entrega.................e a garantia vencida..................e o atraso na entrega porque não tem a peça aqui no Brasil e tem de ser encomendada aos USA, enfim..............uma beleza.................
A essa altura eu já tinha encostado a Gilette que tinha comprado para cortar os pulsos, e, no entanto, resolvi sair de casa e ir ver um show. Depois fui andar de bicicleta no parque do Ibirapuera, sem pressa de voltar para casa.

Devagarinho fui-me esquecendo dessa urgência de sofrimento e concentrei-me em lembrar exactamente o que tinha lá dentro de tão importante, para além de tudo. Sem falar na pasta PROJECTOS 2008 !!!! Essa era a perda fatal !!

Cheguei humildemente à conclusão, nesses momentos, que seria tão cansativo recomeçar e recriar tudo, tarefa impossível em 90%, que o melhor seria deixar morrer estes dados únicos, seguindo o seu não destino, e recomeçar outra vida, outra identidade, em outro lugar, uma outra pessoa totalmente diferente.
E aí comecei a imaginar o que eu poderia ir fazer na vida, a analisar as minhas OUTRAS qualidades e possibilidades.
Poderia ir para actividades diametralmente opostas, e de diferentes escalões sociais e geográficos.

Eu sou a melhor empregada doméstica que eu conheço, cozinho lindamente de forno e fogão, doces, petiscos, massas, galantines, dietas especiais, receitas vegetarianas, africanas, portuguesas, brasileiras, saladas, faço pães sensacionais, tenho livros de receitas antigas escritas à mão pela minha avó, cozinho sozinha para 50 pessoas em 2 minutos sem stress, lavo, arrumo, limpo, faço a cama como ninguém, areio pratas, conheço todos os truques dos produtos domésticos, passo horas em supermercados a pesquisar produtos novos, sou atenta à publicidade, carrego comigo para o Brasil um lava loiças super especial que só tem em Portugal, muito mais denso e cheiroso e poderoso, enfim, sou craque nesse item. Adoro vassouras, baldes, baldinhos, desinfectantes, e sobretudo adoro limpezas e arrumações, adoro arrumar gavetas e armários, fico com a ilusória sensação que a vida fica mais arrumadinha se tudo estiver bem arrumadinho e limpinho em casa. Mas tudo tem o seu senão,......eu não sei, nem gosto, de passar a ferro. Nas restantes prendas do lar sou imbatível , mas nessa..............tenho preguiça, quando passo de um lado vinco errado de outro, acho chatérrimo ficar ali plantada a passar a ferro e levar com aquele calor e bafos de vapor, que acabam sempre por pingar em mim e no lençol, e estragar tudo, inclusive o que já estava mal feito........ Claro que entretanto descobri  el  DRIRON, uma máquina de passar a ferro, da FAGOR, espanhola ( uuurrrrggggttthhh ), por fora parece uma geladeira / frigorífico, e por dentro deixa TODA a roupa impecavelmente passada e  "usté passa a ter mui tempo libre para se dedicar ao que más lhe encanta, sú familia e ninhos e sus tiempos libres".  Nesse momento do video de promoção, "a esposa" aparece se entretendo num inútil computador enquanto a maquina passa a roupinha do marido e dos filhinhos...... Ok, eu dou a dica - http://www.youtube.com/watch?v=_2-sHDFO-SQ
!!!!!!!

Adiante. Dizia eu que tenho imensas possibilidades de outras vidas. Posso ser enfermeira, cuidar de doentes, tenho a maior paciência e jeito e não me mete impressão muito sangue, nem dramatizo as situações, tenho senso de humor e muita imaginação para tratar de assuntos sérios e gravíssimos sem entrar em pânico e nem transmitir esse pânico ao doente. A minha tendência é para resolver os problemas que vão surgindo sem falar neles, ir falando em outras coisas, contar histórias, aliviar o sofrimento fora do próprio quadro de sofrimento. Fiz isso comigo e deu super certo, assim aplico nos outros e também dá certo. Sei ficar calada e o meu silêncio não ser um peso mortal. Posso ser enfermeira ????? SIM !!!!!!!  Só precisaria tirar um curso para não fazer disparates, mas com a minha prática pessoal  de hospitais, seria fácil. Ou então poderia ser apenas acompanhante e dar apoio psicológico ao doente, também pode ser só isso, e aí não teria de fazer nenhum curso..........

Por falar em curso, outra coisa que eu poderia fazer era terminar o curso de arquitectura que comecei mil anos atrás.  Só para terminar. Detesto a síndrome do que começo e não termino. Voltaria a ser estudante. Aproveitava a onda e tirava o curso de Antropologia. Adoro a especialidade de Antropologia facial e étnica. Aprender a observar as pessoas na rua, os traços, os tipos físicos, e definir as características pelo aspecto físico, costumes, maneiras de ser, gestos, forma de andar, de comer, de falar.

E também aprenderia a falar Italiano e francês e inglês decentemente, pois português eu sei falar muito bem, para grande raiva de quem acha que "abrasileirei" a forma de falar. São apenas expressões que se colam e acrescentam no discurso natural, que enriquecem o vocabulário, ginástica mental e criativa. A Língua Portuguesa é viva e muito imaginativa, cheia de imagens ao sabor da criatividade de quem a fala, conforme o lugar que vive. Mas quando canto baixa uma lavadeira portuguesa do rio Zêzere e não há sotaque de nada além do meu legítimo português da Beira Baixa. Pelo menos essa aí vão ter de me dar........

Poderia também seguir a minha quase carreira de actriz de cinema, quase fui actriz por um triz, mesmo a sério, não fora eu ter adoecido gravemente, e por muito tempo na fase dos convites sensacionais que me fizeram, para actriz principal, nada de figuração ou pequenos papeis (!!), quando tinha 16 anos.  Para um deles estava até já com as provas de roupa feitas, tudo pronto para 2 meses de rodagem em Trás os Montes.......Acabaram indo outras actrizes no meu lugar (nem vou citar os nomes por pura elegância da minha parte, mas fui substituída à época por algumas das que se tornaram, a partir daí, nas mais significativas actrizes portuguesas, em Portugal e no estrangeiro.........). Enfim, quando voltei à vida real, 3 ou 4 anos depois, já só a música me dominava o espírito e o corpo. Mas sempre fiquei com essa ideia na cabeça. Quem sabe agora ??????  Papéis de mães neuróticas, avós jovens,  grandes amores maduros......guerreira, extra terrestre, ficção científica, escritora deprimida, cantora mutante,  posso ser tudo isso............

Também poderia ser escritora, dedicar-me à escrita seriamente, meu grande e eterno amor, quase secreto. Quando era jovem recusei-me a seguir por aí publicamente, os meus pais eram ambos escritores, totalmente diferentes como escritores (e pessoalmente também....), mas era aquela coisa do estigma, a filha do Melo e Castro e da Maria Alberta também escreve...urgh, que nojo...... Só de pensar nisso eu escondia os meus poemas bem escondidos. O que eu escrevi sempre foi totalmente diferente de ambos, a influência literária deles em mim sempre foi  "apenas"  cultural, de base de escrita bem articulada, com consistência, nada de conceitos nem preconceitos banais, eram bases de leitura, de compreensão de estilos, de ideias, de discussão inteligente, para além da interpretação dos ódios de estimação e das paixões exageradas. Tudo era a vida e a escrita deles que estava em jogo, cada um puxava para um lado, cada um dava as suas coordenadas, cada um escrevia, e eu ia observando as diferenças, mantendo a minha distância de segurança e a minha natural diferença, aprendendo a acreditar e a escrever da minha maneira. Talvez eu seja uma mistura dos dois, com um DNA próprio, tipo filha mesmo........afinal de contas eles eram e continuam a ser os  meus pais.......rsrsrsrs...... Erros ortográficos sempre dei aos montes, e curiosamente o meu pai também, para grande fúria da minha mãe, que é perfeccionista e irritantemente obssessiva com esse assunto de ortografia (e com outros assuntos também, que não vem ao caso agora....). Foi por isso que, naturalmente, rejeitei epidermicamente as correcções permanentes dela, sempre num tom professoral de conhecimento absoluto e domínio total da Língua Pátria e Mãe....... Resultado: dou erros sinistros até hoje, tenho de visualizar a palavra e chego lá muitas vezes apenas pela memória visual do desenho das letras........... Ai de mim que num ímpeto eu mande uma carta ou mail sem passar pelo crivo de algum bondoso corrector, ou pela minha irmã Bé, actual guardiã da minha imagem pública ortográfica....... Levo cada raspanete !!!!!!!!!
Continuando.........Dada a minha total falta de vontade de me expor na escrita, quando comecei a cantar usei alguns poemas meus para as letras das músicas, e até hoje escrevo muitas das letras que canto. Quando o Caetano Veloso, em 1982, viu alguns poemas meus, logo ali nasceram duas parcerias autorais. Ele musicou dois poemas, para além de todos os outros compositores que musicaram poemas meus. Isso foi muito bom para mim, deu-me muita certeza. Afinal eu escrevia sim, mas em vez de publicar escrito, eu publicava a cantar, e isso o Melo e Castro nunca fez, nem a Maria Alberta !!!!  Mas nem por isso me livrei das maledicências habituais, e se eu fiz sucesso, sim, era porque era filha deles, claro !!! Alguma dúvida ??????? heeheheh !!!

Deixa-me pensar.......Que mais poderia eu fazer na vida ??????????????
Motorista !! Guio bem e sou segura, tenho senso de orientação, sou atenta, não gosto de velocidades, cumpro as regras do trânsito, sou calma, tenho sempre sorte para encontrar lugar para estacionar o carro (graças a uma prece e uma oração feitas na hora da necessidade urgente do já agora aqui !!), posso ficar calada, posso fazer turismo e explicar tudo, menos o item histórico, monumentos, datas, isso não, mas o trivial básico eu seguro. E o principal, eu adoro guiar. Quando posso, pego no carro e lá vou eu, estrada fora, quando vou de São Paulo para o Rio de Janeiro com mais vagar, vou de carro, sozinha, medo nem pensar.  E em Portugal cheguei a morar no Alentejo e trabalhar em Lisboa, diariamente. Eram 250 km por dia sem pestanejar. Quando alguém precisa de fazer alguma coisa daquelas que ninguém quer, lá vou eu alegre e feliz. Um amigo muito querido disse um dia que uma das (poucas) qualidades que eu tenho é fazer de um nada um grande acontecimento, sempre, todos os dias. Com alegria e sinceridade.

Deve ser, porque aqui estou eu festejando a saída temporária do meu computador, e o seu regresso triunfal ao lar doce lar. Tive a sorte de não perder nada. Tive a sorte de fazer um backup que a partir de hoje será actualizado automaticamente por um programa novo da MAC que se chama Time Machine. Tive a sorte de poder pensar no que poderia fazer para além disto, que poderia ter perdido o rumo prático e me encher de preguiça e recomeçar outras vidas........
Mas vendo bem, QUASE tudo isso eu já faço sempre, naturalmente, cada vez que a vida pede. Eu escrevo, limpo a casa, cozinho, acompanho os meus doentes particulares meses a fio pelos hospitais, dou assistência natural aos meus amigos, aconselho as minhas amigas em assuntos delicados, sou sensata, estou sempre disponível para ouvir, para rir, para fazer rir,  estudo umas coisitas por aí, leio, faço cinema, sou uma bela actriz de mim mesma, guio o meu carro alegremente, e canto nas horas vagas, obedecendo à programação do meu TIME MACHINE interno, instalado na minha cabeça desde que nasci.........

Há alguém interessado na reza infalível para ter  vaga de estacionamento IMEDIATAMENTE?????????????????

PS.: Também posso ser decoradora de casas, tenho catálogo de apresentação!!

Publicado por Eugénia Melo e Castro às 11:18
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
3 comentários:
De Eugénia Melo e Castro a 19 de Março de 2008 às 12:18
AGRADECIMENTOS ESPECIAIS AOS MEUS ORTOGRAFATER’s CORRETATER’s TABAJARA’s DR ENG EL OY VARANDAS E PROF. MURI PESSOA.

E TAMBÉM AO MEU CONSULTOR PARA ASSUNTOS ALEATÓRIOS, PESQUISAS INFERNAIS DE ACHADOS E PERDIDOS JONAS EL POPBOY


De marta a 18 de Junho de 2009 às 11:26
tenho feito buscas sobre o driron, gostava de saber se o tem e se está satisfeita? é que odeio passar a ferro e bastante as pernas..


De Eugénia Melo e Castro a 18 de Junho de 2009 às 16:23
hehehehe

não tenho não, nem conheço ninguém que tenha............mas deve ser bom, sei la, imagino que so de não ter de passar a ferro, a vida já melhora muito !!!!!


Comentar post

Ouça aqui

EMAIL/ CONTACTOS/ SITE OFICIAL

eugeniamc@sapo.pt http://www.eugeniameloecastro.com

Bem Querer / Futuros Amantes


Veja mais vídeos aqui!

AVISO AOS NAVEGANTES :

ESTE BLOG É (TAMBÉM) UMA BASE DE DADOS ACTUALIZADOS SOBRE EUGÉNIA MELO E CASTRO. DESTINA-SE AO REGISTO DE ENTREVISTAS, MATERIAIS DE IMPRENSA, MÉDIAS, MP3, VIDEOS, MATERIAL DE PESQUISA, BIOGRAFIA, HISTÓRIAS, OPINIÕES, CRÓNICAS, FOTOS, DATAS, AUTORES, MÚSICOS ENVOLVIDOS, ASSUNTOS RELACIONADOS, DEPOIMENTOS, LINKS RELACIONADOS, AGENDA DE SHOWS, ACTUALIZAÇÃO DE ACTIVIDADES, LANÇAMENTOS E RELANÇAMENTOS DE CDs, DVDs, PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS, GRAVADORAS, DIREITOS AUTORAIS, LETRAS, CONVIDADOS ESPECIAIS, ONDE, COMO E QUANDO.

Arquivos

subscrever feeds

blogs SAPO